Na madrugada de 22 de maio de 1973, ocorreu um dos mais extraordinários casos ufológicos brasileiros.

Onilson Páttero viajava em seu opala, indo para Catanduva (SP), quando observou alguém pedindo carona na estrada.

Ele ofereceu carona ao estranho que era jovem, louro, olhos azuis e com cabelos curtos. Ele usava uma camiseta e uma jaqueta de couro.

Durante a viagem ele conversaram e Onilson notou que o estranho carregava uma cigarreira de prata, embora tenha afirmado à Onílson que não fumava.

O estranho se apresentou como Alex, e pediu para que Onílson o deixasse 18 quilômetros antes de chegar em Catanduva, em um lugar ermo.

Quando chegavam em Catanduva, o motor do carro de Onilson parou. ele notou um circulo luminoso azul que estava envolvendo o carro.

Quando esta luz atingiu o automóvel, Onilson pôde observar o motor através da lataria do carro, pois este havia tornado-se translúcido.

Logo após Onilson observou um objeto flutuando a 15 metros de distância. Dentro do carro a temperatura se elevou subitamente obrigando Onilson a sair.

Do objeto saiu um tubo de luz azul que atingiu Onilson, que desmaiou. Mais tarde ele foi encontrado por dois jovens que avisaram a polícia.


Onilson foi levado à um hospital pelos policiais. No dia seguinte surgiram estranhas manchas em seu corpo.

Posteriormente foi submetido à seções de hipnose regressiva na tentativa de esclarecer os fatos relativos à sua experiência.

Durante a regressão ele recordou de ter sido levado para dentro da nave, onde observou seres que ele chamou de "os homens de peito de aço".

Quase um anos depois, em 26 de abril de 1976, Onílson passou por uma nova experiência.

Desta vez ele foi novamente envolvido por aquela aquela estranha luz azul que deixou seu carro transparente.

Depois foi levado para o interior do objeto que estava sobre a estrada. Dentro do objeto, Onilson encontrou Alex (o rapaz da carona), que disse para Onílson não ter medo.

Ele foi amarrado por anéis de aço, e viu surgir a sua frente um clone de si mesmo que usava a mesma roupa com a qual ele estava em sua primeira abdução.

Onílson afirma ter ficado na nave até o dia 2 de maio, quando foi devolvido a cerca de 900 quilômetros de onde foi pego em Marilia.

Onílson foi encontrado em uma fazenda perto da cidade de Colatina no Espírito Santo e depois de ser levado para a delegacia de policia, Onílson ficou conhecido pela imprensa local como "o homem que caiu do Disco Voador".

Fonte de Pesquisa : GEPUC On-Line - Ufologia com Seriedade na Internet

 

 

  INDIQUE ESTE SITE !

 

 

VOLTAR

mensageirosdoceu.net - 2004 - 2016 - Todos os Direitos Reservados.