PRECES PELOS DOENTES

(Para o doente pronunciar) Senhor, sois todo justiça; a doença que vos aprouve me enviar, devo-a merecer, pois não fazeis sofrer jamais sem causa. Eu me entrego, para minha cura, à vossa infinita misericórdia; se vos apraz me restituir a saúde, que vossa infinita misericórdia; se vos apraz me restituir a saúde, que vosso santo nome seja bendito; se, ao contrário, devo ainda sofrer, que ele seja bendito da mesma forma; eu me submeto sem murmurar aos vossos divinos decretos, porque tudo o que fazeis não pode ter por finalidade senão o bem das vossas criaturas. Fazei, ó meu Deus, que esta doença seja para mim uma advertência salutar, e me leve a meditar sobre eu mesmo; aceito-a como uma expiação do passado, e como uma prova para a minha fé e a minha submissão à vossa santa vontade.

(Pelo doente) Meu Deus, vossos desígnios são impenetráveis, e em vossa sabedoria haveis acreditado dever afligir ......... pela doença. Lançai, eu vos suplico, um olhar de compaixão sobre os seus sofrimentos, e dignai-vos pôr-lhes um fim. Bons Espíritos, ministros do Todo-Poderoso, secundai, eu vos peço, meu desejo de o aliviar; dirigi meu pensamento, a fim de que ele vá derramar um bálsamo salutar sobre seu corpo e consolação em sua alma. Inspira-lhe a paciência e a submissão à vontade de Deus; dai-lhe a força de suportar suas dores com resignação cristã, a fim de que não perca o fruto das suas provas.

(Para ser pronunciada pelo médium curador) Meu Deus, se dignais vos servir de mim, indigno que sou, eu posso curar esse sofrimento, se tal é vossa vontade, porque tenho fé em vós; mas sem vós eu não posso nada. Permiti aos bons Espíritos me penetrarem com seu fluido salutar, a fim de que o transmita a este doente, e afastai de mim todo pensamento de orgulho e de egoísmo, que poderia alterar-lhe a pureza.

PRECES PELOS OBSIDIADOS

(Para ser pronunciada pelo obsidiado) Meu Deus, permiti aos bons Espíritos livrar-me do Espírito malfazejo que está ligado a mim. Se é uma vingança, que exerce por injustiças que eu terei feito outrora para com ele, vós o permitis, meu Deus, para minha punição, e eu suporto a conseqüência da minha falta. Possa meu arrependimento merecer vosso perdão e minha libertação! Mas, qualquer que seja seu motivo, peço para ele a vossa misericórdia; dignai-vos facilitar-lhe o caminho do progresso que o desviará do pensamento de fazer o mal. possa eu, de minha parte, retribuindo o mal com o bem, conduzi-lo a melhores sentimentos. Mas eu sei também, ó meu Deus, que são as minhas imperfeições que me tornam acessível às influências dos Espíritos imperfeitos. Dai-me a luz necessária para as reconhecer; combatei, sobretudo, em mim o orgulho que me cega sobre meus defeitos. Qual não deve ser minha indignidade, uma vez que um ser malfazejo pode me senhorear! Fazei, ó meu Deus, que esse revés para a minha vaidade me sirva de lição para o futuro; que ele me fortaleça na resolução que tomo de me depurar pela prática do bem, da caridade e da humildade, a fim de opor, de hoje em diante, uma barreira às más influências. Senhor, dai-me a força de suportar esta prova com paciência e resignação; eu compreendo que, como todas as outras provas, ela deve ajudar o meu adiantamento se não perder-lhe o fruto com meus murmúrios, uma vez que me fornece ocasião de mostrar minha submissão e de exercer uma caridade para com um irmão infeliz, perdoando-lhe o mal que me fez (Cap. XII, nºs 5 e 6, Cap. XXVIII, nºs 15).

(Para o obsidiado) Deus Todo-Poderoso, dignai-vos dar-me o poder de libertar ......... do espírito que o obsidia; se entra em vossos desígnios pôr termo a essa prova, concedei-me a graça de falar a esse Espírito com autoridade. Bons Espíritos que me assistis, e vós, seu anjo guardião, prestai-me vosso concurso; ajudai-me a desembaraça-lo do fluido impuro do qual está envolvido. Em nome de Deus Todo-Poderoso, eu abjuro o espírito malfazejo que o atormenta a se retirar.

(Para o Espírito obsessor) Deus infinitamente bom, imploro a vossa misericórdia para o Espírito que obsidia ............; fazei entrever as divinas claridades, a fim de que ele veja o falso caminho em que está empenhado. Bons Espíritos, ajudai-me a fazê-lo compreender que tem tudo a perder fazendo o mal, e tudo a ganhar fazendo o bem. Espírito que vos comprazeis em atormentar ........, escutai-me porque eu vos falo em nome de Deus. Se quiserdes refletir, compreendereis que o mal não pode impor-se ao bem, e que não podeis ser mais forte do que Deus e os bons Espíritos. Eles teriam podido preservar........... de todo golpe da vossa parte; se não o fizeram, foi porque ele (ou ela) tinha uma prova a suportar. Mas quando essa prova tiver acabado, vos tirarão toda ação sobre ele; o mal que lhe tendes feito, em lugar de prejudicá-lo, servirá para seu adiantamento, e com isso não será mais feliz, assim vossa maldade terá sido uma pura perda para vós e reverterá contra vós. Deus, que é Todo-Poderoso, e os Espíritos superiores seus delegados, que são mais poderosos do que vós, poderão, pois, por fim a essa obsessão usando o quiserem, e vossa tenacidade se quebrará diante dessa suprema autoridade. Mas, pelo fato mesmo de que Deus é bom, ele quer vos deixar o mérito de cessá-la de vossa própria vontade. É uma moratória que vos é concedida; se não a aproveitais, sofrereis suas deploráveis conseqüências; grandes castigos e cruéis sofrimentos vos esperam; sereis forçado a implorar a piedade e as preces da vossa vítima, que já vos perdoa e ora por vós, o que é um grande mérito aos olhos de Deus, e apressará sua libertação. Refleti, pois, enquanto é tempo ainda, porque a justiça de Deus se abaterá sobre vós como sobre todos os Espíritos rebeldes. Pensai que o mal que fazeis neste momento terá forçosamente um fim, enquanto que, se persistis no vosso endurecimento, vossos sofrimentos irão aumentando sem cessar.

Quando estáveis sobre a Terra, não teríeis achado estúpido sacrificar um grande bem por pequena satisfação de um momento? Ocorre o mesmo agora que sois Espíritos. Que ganhais com o que fazeis? O triste prazer de atormentar alguém, o que não vos impede de ser infeliz, o que quer que possais dizer, vos tornará mais infeliz ainda. Ao lado disso, vede o que perdeis; olhai os bons Espíritos que vos cercam e vede se sua sorte não é preferível à vossa. A felicidade que eles gozam vosso quinhão quando o quiserdes. O que é preciso para isso? Implorar a Deus e fazer o bem, em lugar de fazer o mal. Eu sei que não podeis vos transformar de repente; mas Deus não pede o impossível; o que ele quer é a boa vontade. Experimentais, pois, e nós vos ajudaremos. Fazei com que logo possamos dizer por vós a prece pelos Espíritos arrependidos, e não mais vos situar entre os maus Espíritos, até que possais estar entre os bons. (Ver também prece pelos Espíritos Endurecidos).

 

 

INDIQUE ESTE SITE !

 

 

Voltar

 

mensageirosdoceu.net - 2004 - 2016 - Todos os Direitos Reservados.