Sou uma pessoa extremamente infeliz, ou melhor, um espírito devedor, envergonhado pelas coisas que fiz.


Vivi uma vida de prazeres e luxurias, tive tantos homens quantos eu desejava, explorei muitos deles, vivia numa casa luxuosa, cercada de criados.


Não nasci pobre, era rica o suficiente para ter tido uma vida digna, podia ter aproveitado a minha situação financeira para estudar, para crescer, para ajudar tantas pessoas, mas tão logo meus pais morreram em um acidente eu herdei sozinha grandioso patrimônio.


E o quê fiz? Me lancei em festas regadas a drogas e sexo, não precisava, mas tinha o prazer de me prostituir. Como era muito bela, bem tratada e bem vestida atraia homens muito ricos aos quais eu explorava sem dó.

Queria sempre mais, mais sexo e mais dinheiro, não poupava gastos em salões de belezas. Gastava rios de dinheiro com isso. E assim eu ia vivendo, linda, rica e cercada de pessoas importantes, homens influentes, era tudo luxo e prazer.


Frequentava os lugares da moda, restaurantes finos, viajava muito e me hospedava nos melhores hotéis, muitas vezes bancada por homens ricos que me queriam mostrar como um troféu. A maioria desses homens tinham família, mulher e filhos, e eu não me importava com isso.

Muitos lares eu destruí, muitas mulheres eu fiz sofrer e até levei uma delas ao suicídio de tanta vergonha e dor. Nada disso me atormentava, eu simplesmente ignorava.


O tempo foi passando e fui chegando a idade madura sem no entanto aceitar isso, recorria a cirurgias e a tudo o que pudesse conservar a beleza e a juventude de outrora. Quanta ilusão, nada disso me serviu de nada.


Quando estava com quase sessenta anos foi diagnosticado em mim um terrível câncer que quando descoberto já não tinha mais tratamento. Estaria aí chegando ao fim da minha vida física.


Mesmo doente continuava orgulhosa, nunca dei nada pra ninguém, nunca fiz nenhum tipo de caridade, o que fazia era doar roupas e sapatos para minhas empregadas, mas com a condição financeira que tinha isso era nada. Isso para mim significava desocupar espaço para adquirir mais e mais roupas.

Podia com que eu tinha ter ajudado verdadeiramente muitas pessoas, podia pelo menos ter mantido a ajuda que meus pais davam a certa instituição de caridade paupérrima e que necessitava muito dessa doação. Fui egoísta, frívola e tudo mais.


Hoje de volta ao plano espiritual vejo os que prejudiquei, as famílias que destruí, os homens que eu explorei, a mulher suicida que por minha causa acabou com a vida. Vejo meus pais e sinto tanta vergonha que sofro horrivelmente por isso.

Sou a mais horrível das criaturas, minha aparência que tanto quis cultivar me transformou em uma mulher horrenda, como sou feia, por dentro sempre fui e agora por fora também.


Ousei a lhes contar essa historia para que possa quem sabe valer de exemplo para pessoas como eu.


Vivo buscando oportunidades e hoje tenho fé que vou conseguir. Parto em breve para uma reencarnação difícil, meu corpo físico antes lindo, será desta vez feio e deformado e sei que sofrerei muito com isso.

As pessoas ao me olharem sentiram verdade pavor.


Mas vou com fé, não sei se conseguirei levar isso até o fim, mas tenho esse proposito e mesmo com essa deficiência física serei inteligente o bastante para poder trabalhar em benefício de muita gente.


E é isso que espero conseguir.
Orem por mim.

Rita Maria.

Psicografia recebida em 2018.
Médium: Débora.

 

 


Voltar

 

mensageirosdoceu.net - 2004 - 2009 - mensageirosdoceu.net - 2004 - 2018 - Todos os Direitos Reservados. odTodos os Direitos Reservados.